"WAGÔH PAKOB" ESPAÇO VIVENCIA PAITER NA FLORESTA

Tipi. Anfitrión: Wagõh Pakob

  1. 7 huéspedes
  2. 1 cama
  3. 2 baños
Alojamiento entero
Tendrás tu tipi solo para ti.
Se admiten mascotas
Los huéspedes suelen buscar este servicio tan popular
Pra quem se desloca por esse Brasil afora em busca de experiências únicas de comunhão com a natureza, no estado brasileiro de Rondônia, na Amazônia brasileira, o povo indígena Paiter (também conhecido como Suruí) oferece roteiros paradisíacos em seu Centro Cultural Indígena Paiter Wagôh Pakob, no coração da floresta amazônica.

El alojamiento
Quem chega de visita recebe sempre o convite para se imergir no vasto e fascinante mundo de uma pequena comunidade indígena de 200 pessoas, entre adultos, jovens e crianças. Essa é uma oportunidade única para conhecer sobre a a cultura Paiter, e para se engajar no movimento desse bravo povo indígena em defesa da qualidade de vida dos povos da floresta e de um mundo de paz para todos os seres humanos.

Dónde vas a dormir

Áreas comunes
5 hamacas

Lo que ofrece este lugar

Costa
Cocina
Se admiten mascotas
Desayuno
Apto para fumadores
No disponible: Detector de monóxido de carbono
No disponible: Detector de humo

Selecciona tu fecha de llegada

Ingresa tus fechas de viaje para ver el precio exacto
Llegada
Agregar fecha
Salida
Agregar fecha

Sin evaluaciones (por ahora)

Nuestra misión es ayudarte a viajar con total tranquilidad. Cada reservación está cubierta por la Política de reembolso al huésped de Airbnb.

Dónde vas a estar

Estado de Rondonia, Brasil

Localizado a cerca de 450 km da capital de Rondônia, Porto Velho, e a 40 km da cidade de Cacoal, a cerca de 1 km da Aldeia Indígena Paiter Linha 9, que é uma das 27 aldeias existentes na Terra Indígena 7 de Setembro, o Wagôh Pakob, que língua Paiter significa a “força da floresta”, inaugurado em 22 de novembro de 2016,

Anfitrión: Wagõh Pakob

  1. Se registró en agosto de 2017
    Pra quem se desloca por esse Brasil afora em busca de experiências únicas de comunhão com a natureza, no estado brasileiro de Rondônia, na Amazônia brasileira, o povo indígena Paiter (também conhecido como Suruí) oferece roteiros paradisíacos em seu Centro Cultural Indígena Paiter Wagôh Pakob. Localizado a cerca de 450 km da capital de Rondônia, Porto Velho, e a 40 km da cidade de Cacoal, a cerca de 1 km da Aldeia Indígena Paiter Linha 9, que é uma das 27 aldeias existentes na Terra Indígena 7 de Setembro, o Wagôh Pakob, que língua Paiter significa a “força da floresta”, inaugurado em 22 de novembro de 2016, oferece a oportunidade única de um dia de vivência em uma aldeia indígena, no coração da floresta amazônica. Ali, sob o olhar atento do turismólogo indígena Gasodá Suruí, coordenador cultural da Aldeia e fundador do Wagôh Pakob, do qual é coordenador juntamente com a comunidade da Aldeia Paiter, quem chega de visita recebe sempre o convite para se imergir no vasto e fascinante mundo de uma pequena comunidade indígena de 200 pessoas, entre adultos, jovens e crianças. Essa é uma oportunidade única para conhecer sobre a a cultura Paiter, e para se engajar no movimento desse bravo povo indígena em defesa da qualidade de vida dos povos da floresta e de um mundo de paz para todos os seres humanos. Em seu dia-a-dia, o Wagôh Pakob serve como um espaço de repasse de informações dos conhecimentos tradicionais dos mais velhos para os mais novos, para a valorização e preservação da cultura tradicional Paiter, e um local de intercâmbio entre povos indígenas e não-indígenas.
    Pra quem se desloca por esse Brasil afora em busca de experiências únicas de comunhão com a natureza, no estado brasileiro de Rondônia, na Amazônia brasileira, o povo indígena Pait…
      A fin de proteger tus pagos, te pedimos que nunca transfieras dinero ni te comuniques fuera de la página o la aplicación de Airbnb.

      Qué debes saber

      Reglas de la casa

      Llegada: De 8:00 a 17:00
      Admite mascotas
      Apto para fumadores

      Salud y seguridad

      Se aplican las pautas de Airbnb con respecto al distanciamiento físico y otras cuestiones relacionadas con el coronavirus
      No se indicó si hay detector de monóxido de carbono Mostrar más
      No se indicó si hay detector de humo Mostrar más

      Política de cancelación